Para melhor visualização do site, utilizar navegador Google Chrome.

Blog

Do coma à comemoração

25 de junho de 2019
Tempo de leitura: 2 minutos

Anderson Machado

Comentario 4
Compartilhar 247

Chegamos na UTI eu e Dr. Chabilson. No último leito do Hospital do Mandaqui encontramos o Marcelo, de 11 anos. Ele estava deitado, seu corpo conectado com vários fios, seus olhos cobertos com gases. E em sua boca havia um canudo gigante. Seria ótimo se o canudo estivesse dentro de um copo gigante de suco de melancia, mas não.

A Dra. Camila contou que Marcelo estava em coma, entubado, por conta de uma infecção pós cirúrgica do apêndice. Ao seu lado, a mãe, olhos marejados, buscando o infinito com seu olhar triste. Nos aproximamos calmamente e perguntamos se podíamos tocar uma música para ele. A mãe disse que ele não estava ouvindo. Eu avisei que, conforme o estudo da Ciência e da Besteirologia, o ouvido continua funcionando.

Ela abriu um pequeno sorriso de meio centímetro e permitiu que tocássemos para Marcelo.

Toquei o cavaco, Chabilson o chocalho e, ao ritmo do samba, começamos a cantar:
– Bom dia Marcelo! Aqui quem fala é o Cavaco e o Chabilson. Hoje o céu está azul, o sol está brilhando, o Corinthians perdeu o jogo de ontem, meu cabelo não está muito bom, amanhã será terça…

Assim fomos passando informações importantíssimas para o menino. Depois de cantar, nos despedimos dizendo que iríamos voltar na quarta-feira para bater mais um papo. Nos despedimos de sua mãe, cujo sorriso já estava mais aberto, totalizando quase um centímetro a mais.

Retornamos e a Dra. Camila, com um sorriso de três centímetros, nos contou que Marcelo havia despertado. Fomos até seu leito e lá estava ele: olhos abertos, sem o canudo gigante em sua boca, um pouco sonolento. Quando nos viu, logo abriu um sorriso. Então eu disse:

– Oi, Marcelo, que bom que está melhor. Você lembra de nós?
– Lembro sim!

A mãe dele, a médica e a enfermeira ficaram impressionadas. A mãe, desconfiada, perguntou novamente:
– Lembra mesmo, filho?

E ele, com toda convicção, disse que sim. Então continuei:
– Lembra que conversamos, Marcelo?
– Sim!
– Lembra que eu falei que o Corinthians perdeu?
– Sim!
– Lembra que tocamos uma música?
– Sim!
– Que bom, Marcelo, eu sabia que você estava aqui o tempo todo! Ainda bem que não costumamos falar mal de ninguém pois se tivéssemos você também se lembraria!

Olhei para o lado e todos estavam sorrindo surpresos com as lembranças de Marcelo. O sorriso de sua mãe já estava com 10 centímetros. Seu olhar, cheio de vida e alegria. O filho estava bem melhor. Conversamos mais um tempo, fizemos exames besteirológicos, palhaçadas e tivemos que ir embora, pois Marcelo não podia rir muito por conta dos pontos da cirurgia. O sorriso já estava de bom tamanho!

Nos despedimos e dissemos que voltaríamos na próxima semana e não queríamos encontrá-lo lá. Que era melhor ele ir pra casa, brincar com os amigos da escola e ficar com sua família. Na semana seguinte, Marcelo havia recebido a alta.

Ficamos contentes com a notícia e comemoramos junto com a equipe. Assim, fomos do coma à comemoração, do zero aos cinco centímetros de sorriso. E continuamos seguindo de um leito para o outro em busca de mais comemorações, altas, alegrias e sorrisos mais largos.

* o nome do paciente foi alterado para preservar sua identidade



Categorias


Lá do arquivo

Anderson Machado


Postado em:

Histórias de hospital

Tags

coma, comemoração, música, sorriso

4
Deixe um comentário

avatar
4 Comentar tópicos
0 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais quente
4 Autores de comentários
MarilandeEleniMarinaSamantha Marinho Autores recentes de comentários
  Receber notificação  
Mais recentes Mais antigos Mais votados
Notificação de
Samantha Marinho
Visitante
Samantha Marinho
Visitante

Queria tanto q tivesse os doutores da alegria aqui em Rio das ostras, gostaria de participar. Vcs são maravilhosos

Marina
Visitante
Marina
Visitante

Seres humanos, palhaços, anjos, amparo para o familiar aflito e tantas outras qualidades que só é possível agradecê-los Doutores da Alegria (da alma)

Eleni
Visitante
Eleni
Visitante

Nossa. Amo essas histórias de vcs. Parabéns e que Deus possa abençoe a vida de vcs.

Marilande
Visitante
Marilande
Visitante

Boa tarde que legal que Marcelo de recuperou acho muito bonito o trabalho de vcs parabéns pra vcs por dar alegria a todos os pacientes e as pessoas dar um pouco de alegria abraços com muito carinho

Existem 4 Comentários.