. Projetos e artistas selecionados para o Plateias Hospitalares 2022 – Parte 2 – Doutores da Alegria

Para melhor visualização do site, utilizar navegador Google Chrome.

Blog

Projetos e artistas selecionados para o Plateias Hospitalares 2022 – Parte 2

18 de março de 2022
Tempo de leitura: 4 minutos

Doutores da Alegria

Comentario 0
Compartilhar 0

Este ano, 19 projetos artísticos foram selecionados pelos Doutores da Alegria para participar do projeto Plateias Hospitalares, no Rio de Janeiro. O projeto enxerga o hospital como palco possível para diversas linguagens artísticas.

A seleção realizada por meio de um edital público recebeu 54 inscrições em diversas linguagens artísticas. A escolha passa por critérios como excelência artística, criatividade, originalidade, qualificação dos artistas e técnicos e adaptação do espetáculo a diferentes espaços.

Quer conhecer quais grupos e artistas vão participar do Plateias Hospitalares este ano? Preparamos dois posts para contar quais projetos serão apresentados e quem são os artistas! Este é o 2º post.

PROJETOS E ARTISTAS SELECIONADOS PARA O PROJETO PLATEIAS HOSPITALARES – PARTE 1

PROJETOS E ARTISTAS SELECIONADOS PARA PARTICIPAR DO PLATEIAS HOSPITALARES – PARTE 2

Papa Vento – Histórias que curam

Sinopse:
O Príncipe Adil chegou à idade de passar por uma prova e provar sua coragem, como fizeram todos os seus ancestrais: enfrentar o leão da caverna. Com medo, ele foge do reino e percorre uma longa trajetória de aventuras, sempre se deparando com um novo leão. Percebendo que não tem como fugir, decide finalmente enfrentar o seu desafio.

Quem é a companhia?
A Papa Vento é uma companhia de teatro de bonecos do Rio de Janeiro com 33 anos de experiência com o público infantil. Com um palco de guignol de fácil mobilidade e foco em fantoches, a companhia se apresenta onde quer que haja público: teatros, escolas, parques, praças, festas.

Palhaço Funil – O menor picadeiro do mundo

Sinopse:
O Menor Picadeiro do Mundo tem como mote as técnicas da palhaçaria clássica, números de rua e dramaturgia. Pode esperar muita música e diversão!

Quem é o artista?
Diego Marques é ator, palhaço e compositor. Desde 2007, trabalha com teatro para infância e juventude, tendo como principal pesquisa a relação entre corpo e musicalidade. Desenvolveu uma pesquisa no Programa de Extensão Teatro em Comunidades no Complexo da Maré, quando escreveu o trabalho “Por um ensino do teatro na encruzilhada: Jongo, Rito e Festa”.

Cia de 2 – Balangandã de histórias

Sinopse:
A apresentação de música e contação resgata a cultura e as histórias dos povos tradicionais.

Quem é a companhia?
A Cia de 2 surgiu em 2018, em Maricá, com a proposta de fomentar a prática das manifestações culturais populares, tais como contações de histórias brasileiras, africanas e indígenas. Os artistas usam instrumentos musicais como violão, pandeiro, panderola e maracá para contar e cantar narrativas folclóricas e populares.

Cia Teatral Milongas – Conversas diversas histórias divertidas

Sinopse:
Dois contadores de histórias propõem apresentar o clássico conto O Gargalo da Garrafa, de Hans Christian Andersen, de uma maneira inusitada: de trás para frente. Por meio da música e do bom humor, eles buscam uma nova maneira de enxergar as coisas, de forma que a ordem pode ser invertida e que as história não precisem ter um ponto final.

Quem é a companhia?
A Cia Teatral Milongas, criada em 2003, desenvolve investigações cênicas em diversos âmbitos, como encenações de dramaturgias clássicas e contemporâneas, adaptações da literatura, e formatos e linguagens diversas, como teatro de rua, teatro para infância e palhaçaria.

Banda Bagunço – Pílulas Sonoras – O cortejo hospitalar do Bagunço

Sinopse:
A música conduz o cortejo Pílulas sonoras, que conta com músicos tocando, cantando e dançando em espaços inusitados, trazendo diversão, alegria e, outras vezes, relaxamento e introspecção. O repertório inclui músicas brasileiras conhecidas.

Quem é a companhia
Bagunço tem esse estilo improvável tocado entre seis brasileiros e dois franceses, que levam o público a dançar e se emocionar. O período da pandemia trouxe uma renovação artística, sintetizando as diversas vivências da banda, agregando múltiplas linguagens, com músicas inéditas e performances novas.


Núcleo Gema – Kê Gracinha 10 anos

Sinopse:
O espetáculo traz um palhaço que chega de repente à cidade, procurando um emprego no circo. Para isso, ele precisa mostrar em pouco tempo todas as suas habilidades. As crianças e os adultos são jurados. O palhaço Gracinha apresenta números de malabarismo, de mágica, de contorcionismo, excêntrico musical e até de acrobacias para convencer a todos de que está apto a entrar nesse circo.

Quem é a companhia?
O Núcleo Artístico Gema foi criado em 2012 pelo ator e palhaço Renato Garcia, que trabalha com a linguagem do circo-teatro e, desde 2013, realiza visitas hospitalares. O espetáculo Kê Gracinha estreou há 10 anos e já circulou por mais de 15 estados do Brasil, além de Argentina, África do Sul e Moçambique.

Orquestra Circônica – Cortejo de carnaval da Orquestra Circônica

Sinopse:
O repertório do cortejo é composto por músicas de circo, músicas de desenho animado, temas clássicos de jazz, de Charlie Chaplin, Edith Piaf, Dick Tale, misturado ao clima das tradicionais marchinhas de carnaval que conduzem o carnaval das fanfarras cariocas. A banda também realiza números de malabarismo, monociclo girafa, pernas de pau e palhaçaria clássica. A percussão tem integrantes sobre as pernas de pau e sopros no chão.

Quem é a companhia:
A Orquestra Circônica iniciou os trabalhos em 2019 com o intuito de unir músicos de fanfarras carnavalescas a artistas circenses, misturando circo e carnaval. O grupo apresenta números cômicos musicais inspirados em clássicos circenses e performances de habilidades circenses.

Circo Dux – Telepáticos

Sinopse:
Neste espetáculo, os artistas do Circo Dux desenvolveram a estranha habilidade de transmissão de pensamentos. Esse raro fenômeno da telepatia possibilita adivinhações impossíveis e inimagináveis, através de poderes mágicos e telepáticos. Por causa disso, a dupla está sendo secretamente estudada pela NASA, CIA, KGB, Interpol, Intercept FBI, polícia comunista chinesa, 007, Globo Rural, além de outros órgãos secretos de inteligência mundial.

Quem é a companhia?
Formada pelos artistas circenses Roberto Rodrigues e Lucas Moreira, desde 2005 a companhia cria números, histórias e personagens baseados no universo do circo, dos parques de atrações, das feiras populares e dos cabarés de variedades.


Cia de palhaços Etcétera e Tal – Pela Ponta do Nariz – Um cortejo musical de palhaços

Sinopse:
Cinco enfermeiros-palhaços percorrem corredores, salas de espera, ambulatórios e
enfermarias para dividir as histórias, encontros, experiências e emoções que vivenciaram no ambiente hospitalar.

Quem é a companhia:
Formada por ex-alunos e integrantes do Programa Enfermaria do Riso/UNIRIO, a Cia de palhaços Etcétera e Tal criou, em 2019, o espetáculo Pela Ponta do Nariz, sob a orientação de Ana Achcar e com a colaboração de Letícia Medella.

PROJETOS E ARTISTAS SELECIONADOS PARA O PROJETO PLATEIAS HOSPITALARES – PARTE 1



Categorias


Lá do arquivo

Você também pode gostar

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificação  
Notificação de
Existe 0 Comentário.