fbpx

Para melhor visualização do site, utilizar navegador Google Chrome.

Blog

Espetáculo “O Homem que Fala” estreia em nova montagem em São Paulo

14 de maio de 2019
Tempo de leitura: 1 minutos

Doutores da Alegria

Comentario 0
Compartilhar 1

A associação Doutores da Alegria revisita seu espetáculo adulto O Homem que Fala, originalmente encenado em 2013, em uma nova montagem com estreia em maio na cidade de São Paulo.

O Homem que Fala traz pequenas histórias que compõem um caleidoscópio onde o personagem ora se vê entregue e apático, ora enfrenta o que a vida lhe apresenta. Trata-se de uma breve viagem para contar as histórias onde a memória, a simplicidade e o efêmero coexistem. O elenco reúne as artistas, palhaças e formadoras Roberta Calza, Soraya Suri Saíde e Thais Ferrara.

Com direção de Celso Frateschi, a montagem estreou em 25 de maio e cumpre temporada até 1 de setembro no Ágora Teatro (Rua Rui Barbosa, 672 – Bela Vista), com sessões aos sábados, 21h, e domingos, 18h. Os ingressos custam R$ 20 (com meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria ou pela internet aqui: http://bit.ly/ohomemquefala.

A doença e a saúde são temas permanentes para Doutores da Alegria e acreditamos que para todo mundo, em alguma medida, concreta ou metafórica. A inspiração para a construção do espetáculo veio de diversos autores, como o neurocientista e escritor Oliver Sacks, que em seu livro “O Homem Que Confundiu Sua Mulher com um Chapéu” lançou um olhar e escuta especiais sobre a história do paciente, tratando da doença e do sintoma como saúde, com humor e poesia. Mas também há referências Bertolt Brecht e outros textos filosóficos que provocaram reflexões sobre as escolhas cotidianas.

“Revisitamos nosso Homem e nos demos conta que ele ainda tem o que dizer. Memória de si mesmo, ele continua atual e vivo. A provocação artística que motivou a idealização do espetáculo há seis anos, hoje mostra-se mais atual do que nunca”, comenta Celso Frateschi.

No palco, as imagens concretas e absurdas concebidas por César Chalone sugerem a fusão entre memória, pensamento e sensação, e quando combinadas às projeções de Fernando Velazquez, dão forma ao espaço e revelam outros mundos; os figurinos de Sylvia Moreira remetem à temporalidade do palhaço e a trilha sonora de Marcelo Amalfi, a partir da lembrança de uma antiga canção árabe, confere sensibilidade ao desenrolar da trama.

O espetáculo tem classificação etária de 14 anos. O espaço possui 37 lugares e conta com acessibilidade. Clique aqui para ver o evento oficial no Facebook e receber informações atualizadas.



Categorias


Lá do arquivo

Deixe um comentário

avatar
  Receber notificação  
Notificação de
Existe 0 Comentário.